Pular para o conteúdo principal

Do tomara que caia,ao blazer justo: Moda, é pra todas as idades!


Vestir-se bem e estar na moda é um desejo de todas as mulheres, independente da idade. Mas é importante ficar atenta ao seu tipo de corpo e escolher as peças adequadas para a sua faixa etária. 
Para arrasar no look sem erro, veja as dicas da personal stylist Valquíria Silva. 

20 anos: Coloque a feminilidade em foco. A moda para a mulher de 20 anos deve ser prática, já a grande maioria delas possui uma rotina atribulada, trabalhando e estudando. Estampas, cores variadas e sóbrias são bem vindas, mas devem estar no contexto e de maneira equilibrada. Curtos, justos e roupas formais variam de acordo com a personalidade de cada uma e também com a ocasião. Para disfarçar a barriguinha, chame a atenção para os ombros, usando blusas e casacos soltos, camisa por dentro da calça, levemente solta, túnica ou top no estilo blousée e saias, que caem melhor que calças. Evite blusas e casacos que marcam a cintura, como parkas e jaquetas, estampas, padronagens muitos grandes ou espaçadas, calças e saias de cintura baixa e alta e cintos caídos ou muito largos.

30 anos: A moda está favorável às mulheres de 30 anos. A calça de estampa floral é uma grande pedida, mas em caso de quadril largo, aposte no fundo escuro, na cor preta ou azul marinho. Nessa idade as peças justas e curtas já pedem cuidado. Nada de micros short justinho! Invista na sensualidade com elegância. O decote e as roupas formais devem ganhar mais sofisticação. Uma opção é usar peças do guarda-roupas masculino, combinando camisas com lenços e colares com estampas geométricas ou listras para dar um detalhe. Se a ideia é parecer mais magro, aposte em listras estreitas e verticais, decotes V ou U, que alongam, e prefira tecidos leves e com fluido.

40 anos: A moda está proporcionando o uso de macacão, que além de ser um peça prática, foi feito para todo o tipo de corpo. Shortinhos e minissaias curtinhos já não ficam legais nesta idade. As cores também já pedem cuidado. O rosa, por exemplo: nada do rosa calcinha-menina, pois não ficará bem. A sofisticação e o bom gosto começam a aflorar com as peças formais e mais fashion. Quem já está com os braços mais flácidos e gordinhos deve evitar regatas ou mangas curtas, transparentes, bufantes e com muitos detalhes. O comprimento ideal para essas mangas é o três-quartos. Para alongar e afinar o pescoço, aposte em decotes mais abertos, como o decote V, e lenços mais longos e de tecidos mais suaves.

50 e 60 anos: Recorra a vestidos longo e abaixo do joelho, com estampa floral. Esqueça as calças finas. Caso queira um visual mais jovem, recorra sem medo a uma jaqueta de couro, uncle boot ou sapatos Oxford bicolores, tricolores, com ou sem glitter. Suma de vez com o curto ou justo, e com as cores fortes e chamativas. As roupas formais clássicas, quando harmonizadas corretamente, deixará a mulher deslumbrante e linda. E mantenha o cabelo curto ou médio, é um truque que enriquece o visual.
  
Seguindo a base de nossas pesquisas encontramos relatos das principais revistas do país! Dentre elas a VOGUE! que abordou o seguinte tema: O fim do anti-aging: sinta-se bela em qualquer idade!

Na edição, a equipe mergulha no tema e, pela primeira vez, publica um especial com 13 páginas que aborda a beleza pós-50 anos – uma das formas de fazer o mercado rever a maneira como nomeia o envelhecer, para que use termos mais realistas (e positivos) – e não a promessa de “frear a passagem do tempo”.

Nessa busca, a Vogue Brasil reuniu oito mulheres (foto), fotografadas pelo craque Miro, que têm entre 59 e 75 anos e com alma fervilhante. A atriz Zezé Motta, a relações-públicas carioca Lalá Guimarães, a arquiteta de interiores Alba Noschese, a empresária Cleuza Ferreira, a executiva Josine Von Bismarck, a modelo Suzana Kertzer, a estilista Marisa Ribeiro e a artista plástica Teresa Fittipaldi contam suas histórias e seus segredos de beleza para a jornalista Doris Bicudo, 60.  O ensaio foi feito por Miro, com edição de moda de Giovanni Frasson e beleza de Max Weber.

Conforme depoimento da diretora de redação Silvia Rogar, envelhecer não significa perder a beleza. 
A Vogue Brasil já está nas bancas. Garanta a sua!

Agradecimentos:

Revista Vogue Brasil
Foto: Miro
Colaborador do blog: Cícero Gutemberg (Classe A Agency)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você conhece Punta Cana, no Caribe...

Você provavelmente já viu em fotos, ou talvez já viajado pra lá... Eu falo de Punta Cana, no Caribe. Praia linda e paradisíaca na República Dominicana, de visual natural estonteante, e um dos meus mais recentes "sonhos de consumo" no segmento viagens. Tenho ouvido muito falar nesse lugar ultimamente e então resolvi pesquisar pra saber que época do ano é boa pra viajar pra lá.

Punta Cana é uma região litorânea localizada no extremo leste da República Dominicana, no Caribe. Possui 8 km de praias de areia branca e fina, com águas cristalinas cercada por corais. A história de Punta Cana começa em 1969 quando Frak Rainieri, fascinado bela beleza da ilha, convidou Theodore Kheel a conhecer o local e investir nele, juntos compraram terras e fundaram o Grupo Punta Cana. A 205 km ao leste da capital Santo Domingo, Punta Cana é destino de praia número 1 no Caribe. Em 2008, a região que combina sol o ano inteiro e hotéis com tudo incluído (os famosos all-inclusive) recebeu cerca de…

A historia da banda Queen: Filme Bohemian Rhapsody.

Bohemian Rhapsody | Trailer Oficial | Legendado HD
A historia da banda Queen: Filme Bohemian Rhapsody.
Ícone. Lenda. Gênio. Estas três palavras são amplamente associadas às personalidades que marcaram a história da arte em algum momento, principalmente se levarmos em conta o mundo da música. Elvis, Michael Jackson, Sinatra, Bowie... Freddie Mercury. 

Artistas transgressores, que transcenderam barreiras, criaram obras épicas, influenciaram (e ainda influenciam) artistas e têm seus nomes marcados na história da humanidade. 

E Freddie foi um homem único, com um talento imensurável e inegável. Mesmo quem não conhece profundamente a obra do Queen, conhece alguma canção deles. Eu cantarolei o filme inteiro. Rsrsrs. Esta bela e emocionante homenagem à Mercury é algo realmente admirável. 

Os aspectos técnicos são bem realizados, a narrativa é fluída e não cansa em suas mais de duas horas de projeção. Rami Malek escancaradamente se entregou ao papel de corpo e alma. Sua atuação de Mercury é excepci…